Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Pitu 2020

NECESSIDADE / OPORTUNIDADE

Por que um plano integrado de transportes urbanos

Necessidade

  • São Paulo quer firmar sua posição como centro financeiro do Mercosul.
  • A infra-estrutura permitirá?
  • Situação atual: congestionamentos diários de até 240 km.
  • Como será no futuro?
  • Mais automóveis e menos mobilidade.
  • O que fazer?
  • Investimentos sendo viabilizados até 2006.
  • E depois?

Oportunidade

  • As informações estão disponíveis.
  • Pesquisa Origem e Destino 1997.
  • Os novos instrumentos estão mais apurados.
  • Planejamento estratégico.

O que é este plano

Mais que um plano, pretende ser um processo contínuo de planejamento:

  • um processo dinâmico, que poderá incorporar as mudanças sociais e econômicas;
  • um processo democrático, que envolve os agentes responsáveis pela gestão e operação do transporte;
  • um processo completo, que examina não só os investimentos, mas as medidas de gestão do sistema;
  • um processo realista, que propõe medidas de financiamento regular.

Como foi realizado

Planejamento estratégico

No dicionário, estratégia é a "arte de explorar condições favoráveis com o fim de alcançar objetivos específicos". Por extensão, esta é a definição de planejamento estratégico, usado no Pitu 2020.

O plano começa com a visão futura da metrópole. A cidade que sonhamos nos diz qual o rumo a seguir.

A partir dela, a sequência é técnica:

  • Visão futura da metrópole;
  • Objetivos da política de transporte;
  • Indicadores de desempenho;
  • Cenários futuros socioeconômicos e urbanos;
  • Estratégias nos cenários futuros;
  • Melhor estratégia para a metrópole sonhada;

Propostas do Pitu 2020.

Inovador é o fato dessa metodologia permitir revisões periódicas incorporando novos dados de realidade e reajustando projeções.

Modelagem de apoio

Foi usado o simulador Strategic and Regional Model - Start, desenvolvido pela MVA Consultancy e adaptado pela Setepla Tecnometal Engenharia Ltda às condições de São Paulo.

O Start tem como diferencial o modo como simula, com maior riqueza de detalhes, o processo de escolha do usuário de transporte. O modelo vai mais longe, calculando os impactos das políticas propostas para o futuro e avaliando os benefícios para todos os segmentos da sociedade.

A visão futura da metrópole

O que é

A declaração sintetiza e reflete as expectativas e aspirações dos diversos atores sociais urbanos, desenhando o cenário que a sociedade está disposta a construir. Estabelece os fundamentos e a ideologia do plano.

Como foi feita

Foi formulada com a participação de urbanistas, estudiosos e representantes de classe de diversos segmentos; autoridades, executivos e técnicos representando os municípios da Região Metropolitana de São Paulo; organismos que tratam do urbanismo e transporte no município de São Paulo: Sempla, Sehab, SPTrans, CET; o Consórcio Intermunicipal do ABC; técnicos e executivos das empresas da Secretaria dos Transportes Metropolitanos: CPTM, EMTU, Metrô, Emplasa; e consultores.

A cidade que queremos é:

Uma metrópole competitiva,
  • As diversidades econômicas dos municípios formam um conjunto multifuncional eficaz.
  • A metrópole está inserida na nova ordem mundial.
  • Setor de serviço aprimorado;
  • destaque para funções gerenciais, de desenvolvimento tecnológico, lazer e cultura;
  • liderança econômica no Brasil;
  • funções partilhadas com Campinas, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Sorocaba;
  • cidade mundial.
saudável,
  • O modelo de desenvolvimento é sustentável.
  • A metrópole propicia o desenvolvimento integral do homem.
  • Os recursos naturais são usados racionalmente.
  • Oportunidades de trabalho diversificadas;
  • diminuição dos desníveis sociais;
  • erradicação dos bolsões de moradia precária;
  • mais áreas verdes, preservadas;
  • cidade mais bela;
  • boa qualidade do ar;
  • adequada oferta de saneamento;
  • cursos d’água saneados, enchentes controladas.
equilibrada,
  • Um espaço mais harmonioso.
  • O cuidado com a cultura e os espaços públicos.
  • Predominância de locais mistos de residência, comércio e serviços;
  • centros dinâmicos de bens e serviços ampliados;
  • oferta de infra-estrutura, habitação e serviços urbanos equilibrada;
  • meios de transporte eficientes, confortáveis e seguros;
  • poderosa rede de comunicações;
  • centro revitalizado;
  • marcos culturais e históricos valorizados;
  • espaços múltiplos para interação social.
responsável,
  • Programas e metas são executados sem descontinuidade, mesmo com as mudanças administrativas.
  • Todos os poderes se manifestam sob a gestão metropolitana.
  • Processo contínuo e integrado de planejamento;
  • legislação adequada de uso do solo e ambiental;
  • mecanismos de gestão reguladores, definidores e financiadores da agenda de investimentos;
  • sociedade civil com representação nos órgãos decisores sobre a metrópole.
e cidadã.
  • Um habitante consciente de sua cidadania e sua identidade metropolitana.
  • Os cidadãos se orgulham de sua cidade.
  • Solidariedade, base da consciência e prática políticas;
  • oportunidade de vida digna, com acesso a bens e serviços para todos;
  • equipamentos e serviços para integração de crianças, idosos e deficientes físicos;
  • vida cultural e de lazer intensa;
  • metrópole segura.