Detalhe da notícia
|
Garanta seu lugar no Expresso Paranapiacaba nas férias de janeiro
10/11/2017

Paranapiacaba é o destino mais procurado entre os três roteiros do Expresso Turístico da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Para garantir uma vaga na charmosa locomotiva dos anos 1960, o bilhete deve ser comprado com dois meses de antecedência. Se os planos para as férias de janeiro incluírem uma visita à antiga Vila Ferroviaria, a hora de monitorar a disponibilização dos ingressos é agora: nesta sexta-feira (10/11) abrem as vendas para os embarques em 7 de janeiro. E assim, ao longo das próximas semanas deste mês, serão disponibilizadas as passagens para todos os finais de semana do primeiro mês de 2018, sempre contando 60 dias da data da viagem. 

 Quem perder essa chance deve ficar de olho no site da CPTM (http://www.cptm.sp.gov.br/sua-viagem/ExpressoTuristico) para adquirir passagens para os outros dois roteiros oferecidos aos sábados: Jundiaí e Mogi das Cruzes. Para os três destinos, o embarque ocorre às 8h30 da plataforma 4 da Estação da Luz e retorna às 16h30 do local visitado, chegando às 18h na Luz.

 

Expresso Turístico

O Expresso Turístico resgata o glamour das viagens férreas. A viagem é feita em uma locomotiva a diesel da CPTM, modelo Alco RS-3 de 1952, que conduz dois carros de passageiros, de aço inoxidável, fabricados no Brasil pela Budd – Mafersa nos anos 60. Cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), os vagões foram restaurados nas oficinas da CPTM.

Criado em 2009 pela CPTM e pela STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos), o Expresso Turístico oferece viagem para três roteiros: Luz-Jundiaí (três sábados por mês), Luz-Mogi das Cruzes (no segundo sábado de cada mês) e Luz-Paranapiacaba (aos domingos).

São 174 poltronas para acomodar confortavelmente os turistas, além de espaço reservado para cadeira de rodas (com cinto de segurança e ancoragem da cadeira). O bilhete da CPTM contempla exclusivamente a viagem de ida e volta. O preço unitário da passagem para qualquer um dos três roteiros é de R$ 45 (ida e volta), exceto para o embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André, com destino a Paranapiacaba, que sai por R$ 40.

O bilhete é vendido das 9h às 18h, todos os dias, nas bilheterias das estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André. Os descontos podem chegar até 50% na compra de quatro passagens. Vale lembrar que o bilhete da CPTM contempla somente a viagem de trem até um dos três destinos. Roteiros complementares, que são de responsabilidade dos operadores de turismo regionais, devem ser adquiridos diretamente nas agências de turismo.

 

Paranapiacaba

O trajeto é realizado ao longo da Linha 10-Turquesa. Localizada no município de Santo André, Paranapiacaba é uma vila de arquitetura inglesa, que testemunhou a importante fase de expansão das ferrovias no Brasil. Uma passarela sobre a linha do trem liga a área mais antiga à região alta, onde está a igreja de Bom Jesus, de 1889, e diversas opções de trilhas para os aventureiros.

Ainda, em Paranapiacaba, é possível visitar a segunda locomotiva mais antiga do Brasil em operação, que hoje integra o acervo da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Outra curiosidade para os turistas descobrirem é o original sorvete de cambuci – fruta cultivada na região e rica em vitamina C.

 

Jundiaí

O trajeto é realizado ao longo da Linha 7-Rubi.  O trem percorre um trajeto de 60 quilômetros entre a Capital e Jundiaí, pela atual Linha 7-Rubi, primeira estrada de ferro implantada em 1867 pela antiga São Paulo Railway.

Jundiaí reserva atrações como o Museu Ferroviário da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, que recebeu o nome de “Barão de Mauá”, em homenagem ao pioneiro do transporte ferroviário nacional, Irineu Evangelista de Souza. O acervo reúne livros, revistas, periódicos e muitas fotos históricas, bem como documentos relevantes da ferrovia. A visitação é aberta ao público em geral.

A cidade também tem belezas naturais como a Serra do Japi e os passeios pelas fazendas e vinícolas da região onde se sente a presença italiana nos costumes locais já que Jundiaí manteve por muitos anos a característica de italianidade que começou em 1887, quando 22 colonos italianos chegaram ao núcleo “Barão de Jundiaí” e, em poucos meses, esse contingente chegava a quase 100 pessoas.

 

Mogi das Cruzes

O trajeto de 50 quilômetros entre a capital e Mogi das Cruzes é realizado pela Linha 11-Coral. A cidade atrai adeptos das pedaladas. Localizada a 48 quilômetros da capital paulista, Mogi tem opções de trilhas tanto para iniciantes quanto para ciclistas profissionais. Os visitantes também podem percorrer o Roteiro Ecocultural, que inclui visitas ao Parque Centenário e ao Centro Histórico ou o Roteiro Rural, que abrange o Orquidário Oriental e o Mosteiro dos Monges Beneditinos.

A cidade também é conhecida como centro produtor de flores, com destaque para as orquídeas, herança da forte presença japonesa na cidade durante a primeira metade do século 20. Mas também é importante produtora de frutas como caqui e lichia.

 

Bilheterias

Estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André

De segunda a domingo, das 9h às 18h.